Equinos, quando começar a reprodução?

Equinos, quando começar a reprodução?

Antes de criador de equinos começar a planejar o início da vida reprodutiva dos animais, é preciso saber algumas informações importantes, de modo a facilitar o processo para que não haja contratempos.

Os potros, por exemplo, somente entram na puberdade por volta dos dois anos e meio ou três de vida. Já as fêmeas podem ser cobertas, também por volta dos três anos. Isso, para que a prenhez possa ocorrer aos 4 anos de idade. Estes são os períodos mínimos para a reprodução. Porém, de acordo com especialistas, é sempre importante levar em consideração cada animal, por meio da orientação e análise de um profissional especializado.

A fertilidade dos garanhões pode ocorrer geralmente até os 23 anos de idade, sendo sempre importante realizar, antes dos períodos de monta, os exames andrológicos, de modo que isso possa evitar o planejamento reprodutivo em vão.

Importante frisar ainda que a reprodução bem sucedida, através do processo natural, começa com a ovulação da égua, e com a aceitação da monta do garanhão. Obviamente esta é apenas uma dica importante, sendo que em muitos casos a prenhez pode não seguir este “padrão”.

Fará a diferença neste processo o conhecimento do cuidador do animal, ou proprietário, acerca do período de ovulação da égua, melhor época do ano para a monta, condições de clima e pastagem, as quais influenciam neste processo, dentre muitos outros detalhes.

Você sabe o que é imprinting?

Você sabe o que é imprinting?

O termo imprinting é bastante divulgando no meio equestre, porém ainda suscita dúvidas sobre o significado para muitas pessoas.

Criado no ano de 1935 nos Estados Unidos, o termo refere-se as primeiras impressões recebidas pelos potros e que poderão permanecer para o resto da vida com eles, determinando o comportamento.

Dentre deste aspecto foram criadas técnicas de manejo de modo a favorecer a saúde física e psicoemocional destes animais. A ingestão do colostro e o carinho frequente do dono com o animal estão, em suma, entre alguns destes itens.

Tais procedimentos utilizados com frequência irão tornar o animal cada vez mais dócil, de forma a favorecer, em um futuro relativamente curto, a criação, doma e convivência com o proprietário ou outras pessoas, sem que o animal tenha medo, contribuindo para a “socialização”.

Por outro lado, o manejo incorreto ou abusivo nesta fase pode gerar consequências bastante negativas no animal, que se tornará violento ou com medo, gerando um trauma que poderá comprometer a saúde do mesmo e a relação com os criadores.

Por isso é muito importante que os responsáveis pelo cuidado e manejo dos animais nesta fase da vida estejam de fato preparados e tenham conhecimento a respeito do imprinting.

Saiba como lidar com parasitas em cavalos

Saiba como lidar com parasitas em cavalos

Os parasitas são causadores de vários tipos de doenças em equinos, e costumam trazer grandes transtornos financeiros para os proprietários destes animais por conta de gastos com medicamentos e medidas de controle. O Oxyuris equi é um exemplo.

Esses parasitas atuam com mais frequência no reto e cólon. Em seguida, estas larvas podem adentrar no organismo e se desenvolveram no intestino dos animais.  Por conta das intensas coceiras, os animais podem ainda morder ou lamber a região e acabar ingerindo os ovos.

Outra forma de contaminação ocorre quando os animais passam a tentar aliviar estas coceiras ao esfregar nas baias, o que colabora para a disseminação em todo o ambiente.

O Oxyuris equi, em si, não é considerado uma doença propriamente dita. Entretanto, por conta das feridas em decorrência das coceiras, ele pode ocasionar aberturas para a entrada de bactérias e infecções de todos os tipos.

O diagnóstico pode ser feito por meio da visualização de pruridos ao redor do ânus, agitação excessiva do animal, perda de apetite, dentre outras.

E, por fim, é muito importante que seja feito um exame laboratorial por meio de amostras da região, com o intuito de se detectar com mais precisão o parasita.

Já o tratamento passa pelo uso de fármacos especiais que tem como objetivo eliminar o problema.

Como deve ser a alimentação de um cavalo?

Como deve ser a alimentação de um cavalo?

A alimentação de um cavalo deve ser realizada com conhecimento, sob critérios, jamais no improviso, sob riscos de afetar a saúde do animal. Primeiramente é importante frisar que se trata de um animal que se alimenta principalmente de pastagem, e que possui um sistema digestivo bastante peculiar.

Eles devem se alimentar aos poucos, por conta da estrutura do estômago, que digere com maior lentidão. Quanto mais dividida a alimentação, melhor. Isso porque uns dos grandes motivos de cólicas e outros problemas estão relacionados diretamente aos exageros, problemas de mastigação, dentre outros.

A quantidade de alimentos consumidos pelos equinos, entretanto, pode variar em virtude da atividade em que ele exerce, bem como idade, raça, clima, dentre outros. Porém, em linhas gerais, um cavalo adulto necessita de 2 a 4 kg de alimento por cada 100 kg de peso.

Os cavalos atletas, além de estarem incluídos nesta média de alimentos, compostos sempre com grande parte por feno, devem ainda contar com suplementação balanceada, em virtude dos gastos energéticos maiores do que os cavalos sedentários.

Estes são apenas alguns exemplos básicos sobre o manejo alimentar de cavalos, que deve ser sempre realizado por um profissional com formação e especialização sobre o tema.

Procedimentos a serem realizados antes de uma estação de monta

Procedimentos a serem realizados antes de uma estação de monta

A estação de monta, quando bem planejada, pode ser muito proveitosa para os criadores de equinos que almejam alcançar bons índices de reprodução. Antes de iniciar este processo é preciso, no entanto, realizar alguns procedimentos básicos de grande importância.

O exame andrológico, que tem como objetivo avaliar a fertilidade e a qualidade do sêmen dos garanhões é um deles. Este exame precisa ser realizado por um médico veterinário experiente e que tenha, no mínimo, uma boa especialização sobre o tema.

É necessário ainda que o processo de armazenamento do sêmen seja altamente eficiente, já que nesta etapa pode haver a perda da qualidade do material coletado. Por isso, a escolha entre a utilização do sêmen fresco, refrigerado ou congelado, bem como o transporte, deve ser criteriosa e contar com procedimentos altamente profissionais.

Os processos que envolvem a coleta são também de grande importância para garantir as propriedades do material genético, como a higienização do animal e diluição do sêmen, sendo esta última essencial para a qualidade dos espermatozoides.

Os equipamentos laboratoriais devem também estar sob critérios de qualidade, como o microscópio e a placa aquecedora, de modo que a verificação das condições da porcentagem e da motilidade do sêmen não corram o risco de serem alteradas.

Estas são apenas algumas recomendações básicas que envolvem a realização do exame andrológico, uma das etapas mais importantes antes de começar uma estação de monta.

Cuidados necessários com equinos

Cuidados necessários com equinos

Os equinos, embora aparentam ser animais fortes e imponentes, também estão sujeitos a sofrerem imprevistos que podem trazer riscos a vida e a integridade dos mesmos. Acidentes como quedas, fraturas, cortes, picadas de cobra, crises por conta de cólicas, ataques cardíacos, são apenas alguns exemplos de situações que podem ocorrer.

Diante disso, é muito importante que o proprietário ou o cuidador do animal saiba tomar algumas medidas imediatas, também chamadas de primeiros socorros, e que podem colaborar para que a situação não se agrave até a chegada do médico veterinário. Isso, obviamente, com algum conhecimento mínimo e jamais pelo improviso.

A prevenção, nestes casos, é a melhor maneira de evitar maiores problemas. Neste sentido existem muitas medidas podem fazer a diferença, sendo que a lista não se esgota neste artigo.

Vale ainda investir em manejo alimentar adequado, já que grande partes das crises de cólica ocorrem por conta deste quesito, muitas vezes negligenciado. É necessário ainda verificar sempre a qualidade da água.

A ferragem inadequada é um dos fatores causadores do mau desempenho, dores no sistema locomotor e até mesmo claudicação nos animais, e que podem resultar em sérias lesões. Necessário ainda efetuar o controle parasitário, vacinação em dia, avaliações esporádicas com médicos veterinários (check-up), além das condições das instalações em que o animal passa boa parte do tempo.